ANTENA DO POP - Diariamente o melhor do mundo POP, GEEK e NERD!
Shadow

O primeiro médico David Bradley faz sua retrospectiva de 10 anos de um papel atemporal

Resumo

  • Doutor quemA rica história e legado duradouro de é uma prova de suas aventuras fascinantes e personagens multifacetados.
  • O sucesso do espetáculo reside na mistura de inovação, reinvenção e nostalgia, evoluindo continuamente sua narrativa e introduzindo novos elementos.
  • A introdução da regeneração foi um golpe de mestre que permitiu ao espectáculo continuar durante seis décadas, com novos talentos garantindo o seu potencial desconhecido.


Poucas séries de televisão podem ostentar o tipo de história rica e legado duradouro que Doutor quem faz. O espetáculo, originado em 1963, transportou seus espectadores por um universo de aventuras fascinantes, repleto de personagens e enredos multifacetados. No centro desta série monumental está o Time Lord, uma figura enigmática que atravessa o espaço e o tempo na TARDIS, uma nave interdimensional disfarçada de cabine policial britânica.

William Hartnell foi o primeiro a dar vida a esse personagem. Desde então, uma infinidade de atores talentosos abraçaram o papel, acrescentando seu toque único ao personagem icônico. A tapeçaria da série é bordada com nomes como Jon Pertwee, Tom Baker, Sylvester McCoy, David Tennant e Jodie Whittaker. E em breve, Ncuti Gatwa assumirá o papel após os grandes especiais do 60º aniversário do programa.

Entre esses atores célebres está David Bradley, conhecido por interpretar o novo Primeiro Doutor. Em um recente RadioTimes. com bate-papo, Bradley relembrou sua estreia na sétima temporada do programa e seu retorno de 50 anos, expressando otimismo sobre seu caminho futuro. Bradley comentou,

É simplesmente incrível que, quero dizer, como Hartnell disse, não possa haver um Doctor Who sem o Doctor quando ele percebeu que não era mais capaz de fazer isso, e a ideia de regeneração é brilhante, claro. E isso apenas mostra como foram várias regenerações, [like] com Jodie, apenas mostrando, você pode ir a qualquer lugar com isso. Espero que viva por mais 60 anos.”

Relacionado: Doctor Who comemora 60 anos com a BBC lançando 800 episódios para streaming


Doctor Who: os segredos por trás de seis décadas de domínio da ficção científica

Doutor quem 60º
BBC

A existência prolongada de Doutor quem no cenário da TV é um feito excepcional. Depois de estrear na BBC, teve uma sequência contínua de 26 temporadas, de 1963 a 1989. Após um hiato de 16 anos, a série fez um grande retorno em 2005. A partir desse momento, a série produziu 13 novos episódios com impressionantes 871 episódios, confirmando sua estatura como titã da televisão de ficção científica.

Então, qual é o segredo por trás desse sucesso incomparável? Uma mistura de inovação, reinvenção e um toque de nostalgia. A narrativa evolui continuamente, introduzindo novos elementos, dispositivos pioneiros e apresentando diversos locais. Aprofundar-se na mitologia do Time Lord proporcionou maior profundidade à história de fundo do protagonista, melhorando simultaneamente a dinâmica entre o Doutor e seus companheiros de confiança. Diversos episódios que vão desde aventuras intergalácticas até mergulhos profundos em grandes ocorrências históricas enriqueceram ainda mais sua tapeçaria.

Um momento decisivo na história da série foi quando William Hartnell, o Primeiro Doutor, enfrentou problemas de saúde, potencialmente significando o fim de seu papel. Enfrentando um desafio narrativo, os criadores conceberam um golpe de mestre, introduzindo a regeneração. Isso permitiu que a narrativa introduzisse um novo ator no papel, garantindo a continuação da história. É esta inovação que tem sido fundamental para permitir que o espetáculo se estenda por seis décadas gloriosas. Com novos talentos como Ncuti Gatwa a serem apresentados em breve, não há sinal de Doutor quem desacelerando. Bradley pinta um quadro vívido, sugerindo que com seu potencial desconhecido e o universo como tela, Doutor quem está destinado a ser o favorito do espectador por muito tempo.