ANTENA DO POP - Diariamente o melhor do mundo POP, GEEK e NERD!
Shadow

Doctor Who Showrunner confirma a narrativa das crianças atemporais na história da série

Resumo

  • Doutor quemA narrativa de é elaborada de maneira complexa, misturando traços ousados ​​e linhas delicadas para criar uma evolução progressiva.
  • A revelação de “Timeless Children” dividiu a base de fãs, com alguns elogiando sua profundidade, enquanto outros sentiram que isso perturbou a mística do personagem.
  • Russell T Davies respeita e reconhece a história da série e não tem planos de descartar o enredo de “Timeless Child”, visando continuidade e inovação no futuro da série.


Doutor quemOs guardiões da tradição teceram intrincadamente seu tecido narrativo, misturando traços ousados ​​com fios delicados ao longo de sua evolução progressiva. Apresentador Russell T. Daviesretornando ao comando quando a série se aproxima de seu 60º aniversário, falou recentemente sobre os controversos desenvolvimentos do enredo da saga, especificamente a revelação de “Timeless Children” introduzida durante o mandato de Chris Chibnall.

A atuação de Jodie Whittaker como Décima Terceira Doutora trouxe um enredo que colocou Doutor quem mitologia à prova. Ele retratava o personagem titular como uma entidade de outro universo, possuindo capacidades regenerativas ilimitadas, que foram colhidas pelos primeiros Time Lords. A ousada escolha narrativa dividiu a base de fãs; alguns o elogiaram por adicionar profundidade ao passado misterioso do Doutor, enquanto os detratores argumentaram que isso perturbou a mística e a coerência narrativa do amado personagem.

Enquanto Davies se prepara para revelar os especiais comemorativos, há muitas especulações sobre como ele navegará na tradição estabelecida, incluindo o enredo polarizador de “Timeless Child”. Falando com Revista SFX, Davies reconheceu a complexidade de lidar com o legado do programa e confirmou seu compromisso em preservar a continuidade estabelecida por seu antecessor. Ele articulou seu respeito pelo trabalho de Chibnall, afirmando que não tem planos de descartar a “Criança Atemporal” da história do Doutor.

Durante anos, antes de Chibnall assumir as rédeas, as origens do Doutor já geravam polêmica. A rica história do programa inclui várias quase revelações e arcos de história propostos, como o “Plano Diretor” durante o tempo de Andrew Cartmel como editor de roteiro, que sugeria segredos profundos sobre o início da vida do Doutor. Essas histórias muitas vezes não eram realizadas na tela, mas encontravam vida em romances derivados, como o célebre “Lungbarrow”. O 1996 Doutor quem O filme de TV, que apresentou Paul McGann como o Oitavo Doutor, se envolveu com a noção de que o Doutor era meio-humano e sugeriu laços familiares com o Mestre, agitando ainda mais o caldeirão das histórias de origem.

RELACIONADO: O ex-showrunner de Doctor Who revela o gênio dos monstros bobos da série


Os começos misteriosos do médico: equilibrando o mistério com o cânone

Doutor quem

Doutor quem

Data de lançamento
26 de março de 2005

Elenco
Sylvester McCoy

Gêneros
Ação, aventura, ficção científica

Temporadas
11

O início do Doutor sempre foi uma questão espinhosa. Cada tentativa de definir uma história de fundo definitiva parece intrigar e frustrar o público na mesma medida. A verdade sobre as origens do Doutor foi intencionalmente nebulosa, permitindo que o personagem fosse envolto em um ar de enigma. No entanto, a decisão de delinear esta história foi vista por alguns fãs como um passo longe demais, sentindo que poderia eliminar camadas de mistério ou complicar o personagem com profecias e narrativas difíceis de manejar.

A abordagem de Davies a esta intrincada paisagem narrativa parece ser de harmonia e respeito. Reconhecendo o amplo cânone da série – uma colcha de retalhos de histórias que abrangem diferentes mídias – ele parece preparado para conduzir o Whoniverse em direção a um curso narrativo que reconheça sua história sem ser escravizado por ela.

Doutor quem há muito prospera em sua capacidade de regenerar não apenas seu personagem principal, mas também suas histórias e mitos centrais. Enquanto Russell T Davies recupera as rédeas da narrativa, ele o faz com um olhar voltado para a continuidade e um coração voltado para a inovação. As “Crianças Atemporais” podem continuar a ser um capítulo que causa divisão, mas não será apagado ou ignorado. Continua fazendo parte da história cada vez mais complicada do Doutor, enquanto Davies olha para o futuro da série com uma visão inclusiva para todo o seu passado.