ANTENA DO POP - Diariamente o melhor do mundo POP, GEEK e NERD!
Shadow

10 vezes que um ator foi profundamente afetado por um papel no cinema

É preciso tempo, talento, carisma e dedicação para aprimorar qualquer habilidade e subir nos escalões do sucesso, e atuar não é exceção. Embora muitos artistas de TV e cinema devam sua grande oportunidade ao nepotismo, à atratividade, às conexões no campo do entretenimento ou à formação de atores, nenhuma carreira pode durar sem profissionalismo e comprometimento, seja durante a produção ou pré-produção.

VÍDEO MOVIEWEB DO DIA

ROLE PARA CONTINUAR COM O CONTEÚDO

Alguns papéis exigem mais preparação do que outros, levando o ator a passar meses treinando rigorosamente um determinado estilo de luta, mudar sua dieta e plano de exercícios para atingir o peso e a constituição necessários, ou aprender o básico de um novo idioma. Se for um filme biográfico, eles terão que estudar os maneirismos, inflexões e comportamento da pessoa. Se for um personagem particularmente violento e maligno, eles terão que explorar seu próprio lado negro. Se o enredo gira em torno de uma doença terminal, eles se inspiram em pacientes reais. Resumindo, esses atores dão tudo de si antes e durante as filmagens; portanto, é natural que os mais sensíveis sejam afetados por um tempo, às vezes até o próximo projeto, ou mesmo para o resto da vida.

Estas são 10 estrelas de cinema que mergulharam tão profundamente em um determinado personagem que isso abalou sua psique, impactou sua saúde ou mudou completamente sua perspectiva e estilo de vida.

Kate Winslet como Hanna Schmitz em O Leitor (2008)

O leitor

O leitor

Data de lançamento
2 de janeiro de 2008

Diretor
Stephen Daldry

Elenco
Ralph Fiennes, Jeanette Hain, David Kross, Kate Winslet, Susanne Lothar, Alissa Wilms

Avaliação
R

Gêneros
Drama, Documentário, Romance

No drama romântico O leitor, Kate Winslet interpreta Hanna Schmitz, uma ex-guarda SS analfabeta que está sendo julgada por uma igreja em chamas que ceifou a vida de 300 mulheres e crianças judias. Ela não apenas fez com que alguns dos cativos lessem para ela no campo, mas também pediu a Michael, o garoto de 15 anos com quem ela teve um caso de verão, que lesse em voz alta seus livros escolares.

Como o papel o afetou

Esse papel rendeu a Winslet um Oscar e um BAFTA de Melhor Atriz; ainda assim, ela confessou à UPI que não foi fácil para ela compreender a personagem e estabelecer uma relação entre um guarda SS e o público sem despertar a sua simpatia. Em suas próprias palavras: “Ninguém quer se permitir sentir isso, nem eu mesma. Demoro muito tempo para sair do outro lado da interpretação de qualquer personagem. Com Hanna, eu tive que realmente descobrir quem diabos eu sou de novo. Fiquei arrasado e me senti meio vazio e triste.”

Keira Knightley como Elizabeth Swann em Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (2003)

No sucesso internacional de bilheteria de fantasia e aventura Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola NegraJohnny Depp estrela como o desajeitado mas carismático Capitão Jack Sparrow, ao lado Keira Knightley como Elizabeth Swann, uma donzela privilegiada e franca, com um espírito feroz e sede de aventura.

Como o papel a afetou

Knightley tinha apenas 17 anos quando o filme a catapultou para a fama global; ela afirmou muitas vezes que toda aquela atenção repentina da imprensa, dos fãs e dos profissionais do showbusiness foi extremamente avassaladora porque ela sempre foi introvertida. Ela então apareceu em Dobre como Beckham e Amor de verdadeo que aumentou o nível de escrutínio e levou ao seu diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático.

Relacionado: 15 filmes que tiveram incidentes incomuns nos bastidores

Isabelle Adjani como Anna em posse (1981)

Possessão com Isabelle Adjani e Sam Neil
Gaumont

Posse é um drama de terror psicológico franco-alemão dirigido por Andrzej Żuławski e estrelado por Sam Neill como Mark, um espião internacional, e Isabelle Adjani como Anna, sua esposa errática. Seu casamento conturbado resulta em um caso e um aborto espontâneo – e no nascimento de uma criatura maligna com tentáculos. Se este último é um símbolo da psicose de Anna, da vingança de Mark ou de um elemento sobrenatural real na história sempre foi um assunto de debate.

Como o papel a afetou

Żuławski foi deliberadamente manipulador e verbalmente abusivo com Adjani no set para arrancar dela as emoções mais cruas, da mesma maneira que Alfred Hitchcock constantemente instilava desconforto em Joan Fontaine durante as filmagens. Rebeca. Adjani obedeceu na época, mas depois comentou à imprensa que se sentia “machucada, por dentro e por fora” e que nunca mais permitiria que um diretor a tratasse daquela maneira. Anna estava angustiada, suicida e psicótica, e sofreu um aborto angustiante em público. Suas cenas mais perturbadoras e sangrentas foram supostamente a razão pela qual a atriz francesa sofreu de PTSD e tentou acabar com sua vida.

Anne Hathaway como Fantine em Os Miseráveis ​​(2012)

os Miseráveis

Os Miseráveis ​​(2012)

Data de lançamento
18 de dezembro de 2012

Diretor
Tom Hooper

Elenco
Anne Hathaway, Amanda Seyfried, Hugh Jackman, Russell Crowe, Sacha Baron Cohen, Helena Bonham Carter

Avaliação
PG-13

Gêneros
Drama, Documentário, História, Musical, Romance

Baseado no popular romance histórico do escritor, dramaturgo e poeta francês Victor Hugo, Os Miseráveis características Anne Hathaway como Fantine, uma mãe esforçada que recorre à prostituição para sobreviver e enviar dinheiro para sua filha ilegítima. Depois que Fantine perdeu a beleza, a inocência e a saúde, ela sucumbe à tuberculose.

Como o papel a afetou

Hathaway ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e por boas razões. Ela estava tão empenhada em parecer o mais doente e desgastada possível que fez questão de perder muito peso em apenas duas semanas, limitando suas refeições a pasta de aveia seca. Por ela confissão às pessoas, “Eu não sabia nada sobre nutrição. Sobrecarreguei meu corpo e meu cérebro suportou o peso disso por um tempo. Eu me senti muito ansioso e muito perdido naquele momento. Demorou muito para voltar disso.”

James Cromwell como Arthur Hoggett em Babe (1995)

Querida

Querida

Data de lançamento
18 de julho de 1995

Diretor
Chris Noonan

Elenco
Christine Cavanaugh, Miriam Margolyes, Danny Mann, Hugo Weaving, Miriam Flynn, Russi Taylor

Avaliação
G

Gênero Principal
Aventura

Adaptado do romance O porco-ovelha, Querida é uma comédia dramática sobre um leitão órfão titular que é levado para uma fazenda e faz amizade com os animais de lá. Para evitar acabar na mesa de jantar, Babe decide provar seu valor exibindo habilidades excepcionais de pastoreio.

Como o papel o afetou

Quando James Cromwell emprestou sua voz ao fazendeiro Arthur Hoggett, ele já era vegetariano, mas assim que as filmagens terminaram, mudou para um estilo de vida estritamente vegano. Ele até ajudou a salvar um leitão abusado, transferindo-o para o Indraloka Animal Sanctuary, na Pensilvânia, e deu-lhe o nome de Babe, naturalmente. Hoje, ele é conhecido por seu ativismo pelos direitos dos animais, especialmente quando se trata de testes laboratoriais.

Adrien Brody como Władysław Szpilman em O Pianista (2002)

O pianista

O pianista

Data de lançamento
17 de setembro de 2002

Diretor
Roman Polanski

Elenco
Adrien Brody, Emilia Fox, Michal Zebrowski, Ed Stoppard, Maureen Lipman, Frank Finlay

Avaliação
R

Gêneros
Biografia, Documentário, Drama, História, Guerra

Inspirado nas memórias do Holocausto do pianista e compositor judeu polaco Władysław Szpilman, Roman Polanski’s O pianista estrelas Adrian Brody como líder. O filme ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes de 2002, bem como Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Diretor e Melhor Ator no Oscar.

Como o papel o afetou

Como Hathaway, Brody levou muito a sério seu método de atuação; ele se emagreceu para o papel, para melhor destacar a perda, a fome, o sofrimento e a perseguição vividos em uma das épocas mais horrendas da História. O ator até vendeu a maior parte de seus pertences e rompeu com a namorada para manter a mentalidade certa, resultando em uma atuação convincente que o assombrou muito depois do término das filmagens.

Val Kilmer como Jim Morrison em The Doors (1991)

As portas

As portas

Data de lançamento
1º de março de 1991

Diretor
Oliver Pedra

Elenco
Val Kilmer, Meg Ryan, Kyle MacLachlan, Frank Whaley, Kevin Dillon, Michael Wincott

Avaliação
R

Gêneros
Biografia, Documentário, Drama

O drama biográfico de Oliver Stone As portas retrata a ascensão, queda e morte do problemático e muitas vezes embriagado vocalista da banda de rock psicodélico e blues, Jim Morrison, interpretado por Val Kilmera estrela de Arma superior e Salgueiro.

Como o papel o afetou

Para se preparar para esse papel icônico, Kilmer passou seis meses aprendendo as músicas da banda, aperfeiçoando os maneirismos de Morrison e até mesmo passando tempo com seu produtor. Muito em detrimento de sua saúde mental, pois depois não conseguiu se livrar da personalidade do cantor e teve que passar por intensas sessões de terapia.

Bill Skarsgård como Pennywise em Isto (2017)

Bill Skarsgård como Pennywise em Isto.
Warner Bros.

Depois que Will Poulter abandonou o projeto Bill Skarsgard foi escalado como Pennywise, o palhaço arrepiante, transdimensional e assassino de crianças com habilidades sobrenaturais, na adaptação de 2017 do romance de terror de Stephen King Isto.

Como o papel o afetou

O filme foi um sucesso de bilheteria e o ator recebeu muitos elogios por sua interpretação sinistra, mas afirmou que o papel o afetou e o desgastou tanto emocional quanto fisicamente. Para garantir que os atores infantis demonstrassem uma reação genuína a Pennywise, o diretor Andy Muschetti limitou sua interação fora da tela com Skarsgård, o que o fez se sentir muito isolado. Ele constantemente teve que aperfeiçoar o sorriso arrepiante do personagem, o que afetou seus músculos faciais, e até resultou no palhaço assombrando seus pesadelos por muitas noites.

Janet Leigh como Marion Crane em Psicose (1960)

Janet Leigh em Psicose
filmes Paramount

A influente obra-prima do terror de Alfred Hitchcock Psicopata características Janete Leigh como uma secretária fraudadora em fuga que se encontra em um motel administrado por um assassino com problemas não resolvidos com a mãe. A cena mais icônica do filme envolve a personagem paranóica, vulnerável e ansiosa de Leigh, Marion Crane, sendo esfaqueada até a morte enquanto estava no chuveiro.

Como o papel a afetou

Em 1984, Leigh admitiu ao Women’s World que não conseguiu tomar banho durante anos após o lançamento do filme, mas preferiu tomar banho, certificando-se de sempre trancar as portas e janelas. O fato de alguns fãs distorcidos terem enviado cartas ameaçadoras certamente não ajudou.

Relacionado: Por que os filmes de terror estão mais populares do que nunca

Shelley Duvall como Wendy Torrance em O Iluminado (1980)

Shelley Duvall O Iluminado
Warner Bros.

Na adaptação de Stanley Kubrick do livro de Stephen King O brilho, Shelley Duval interpreta Wendy Torrance, mãe de um menino com habilidades psíquicas e esposa de um alcoólatra em recuperação que tem tendência à raiva e se torna zeladora fora de temporada de um hotel mal-assombrado.

Como o papel a afetou

Ao segurar o bastão por muito tempo, lidar com as críticas aterrorizantes de Kubrick e retratar uma esposa aterrorizada fugindo de seu marido psicótico e assassino, Duvall foi afetada de forma muito negativa: desidratação, perda de cabelo, ataques de ansiedade e mãos feridas resultaram em sua explosão de raiva. lágrimas entre as tomadas.